A História do Festival de Cannes - Parte 2

A História do Festival de Cannes - Parte 2

Postado em:
Blog - Artigos
- 02/10/2020 18:23:46

Hoje continuamos a fantástica história do belo Festival de Cannes! Confira a Parte 1 e continue conosco nessa Parte 2!

 

Após o final da guerra, em 1945, voltaram as discussões para o retorno do Festival de Cannes. Desse modo, a primeira edição, que deveria ter acontecido em 1939, veio a acontecer no dia 20 de setembro de 1946 e foi sediado no antigo cassino de Cannes, a pedido de Philippe Erlanger, e vinte e um países apresentaram seus filmes nos festivais. 
Alguns dos filmes exibidos nessa edição foram Desencanto (1945), de David Lean, e Roma, Cidade Aberta (1945), de Roberto Rossellini, premiado com o Grand Prix no festival. Esse último fez parte do Neorrealismo Italiano, movimento cinematográfico que estava a ascender no pós guerra na Itália.

No ano seguinte, em 1947, por questões burocráticas, o festival não teve apoio do governo e teve que usar um nome diferente na edição daquele ano. Já em 1948, o festival não foi realizado por problemas financeiros. Em 1949, 10 anos após sua criação, o festival teve sua terceira edição, porém, logo em 1950 teve que ser cancelado novamente por conta de questões financeiras.

A partir de 1951, o Festival de Cannes passou a acontecer fielmente todos os anos e, de lá para cá, só foi cancelado duas vezes. Em 1968, foi cancelado quando o Festival já estava em exibição, por conta de protestos de estudantes e trabalhadores que estavam tomando conta de toda a França, então, os artistas e a organização decidiram se solidarizar aos protestos. Em 2020, a 73ª edição do Festival de Cannes precisou ser cancelada por conta da pandemia do novo coronavírus. Por questões de saúde pública, a pandemia impossibilitou o acontecimento do festival.

Além disso, a partir de 1951, o Festival de Cannes passou a acontecer em um mês diferente, para não haver mais competições com o Festival de Veneza. Em 1955, foi introduzido o famoso prêmio do Festival, a Palma de Ouro (Palme d’Or), que substituiu o prêmio Grand Prix entregue aos filmes nas edições anteriores. 

Desde 1950, o Festival de Cannes é o maior evento cinematográfico do mundo e já contou com a presença de grandes estrelas do cinema como Grace Kelly, Brigitte Bardot, Gary Cooper, Orson Welles; e grandes diretores de cinema como Federico Fellini, Akira Kurosawa, Ingmar Bergman, Alfred Hitchcock, Michelangelo Antonioni, Vittorio De Sica, Andrzej Wajda, Satyajit Ray, Luis Buñuel e muitos outros. Graças ao Festival, Cannes se tornou um lugar de alta classe, de extravagância e glória. 

Em 1959, o então jovem cineasta François Truffaut lançou seu primeiro filme, Os Incompreendidos, e lançou para o mundo o icônico movimento que ficaria conhecido como Nouvelle Vague. No mesmo ano, ocorreu o primeiro mercado cinematográfico para facilitar as negociações de compra e venda na indústria cinematográfica. Assim, o Festival de Cannes se tornou a primeira plataforma global para o comércio de filmes.

Alguns anos depois, em 1962, foi lançada a primeira Semana Internacional da Crítica no Festival, onde é exibido diversos outros filmes além da competição principal do evento e onde são revelados diretores como o cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu. Na mesma época, o Festival de Cannes passou a ser um evento autônomo. 

Após fazer mudanças no Júri do Festival, até então formado em maioria por membros da Academia Francesa, o festival passou a convidar grandes nomes da indústria cinematográfica internacional. Em 1964, o diretor alemão Fritz Lang se tornou o primeiro grande cineasta a presidir o Júri, que premiou o filme Os Guardas Chuvas do Amor (1964), de Jacques Demy.

Em 1969, Pierre-Henri Deleau criou a Quinzena dos Diretores, onde é exibido filmes de diretores desconhecidos que não fazem parte da seleção oficial do Festival. Em 1978, ao se tornar o primeiro delegado geral do festival, Gilles Jacob criou a Câmera de Ouro (Caméra d’Or ), que premia o melhor filme de estreia de um diretor. No mesmo ano, Jacob também lançou a nova seção do Festival, uma competição que acontece em paralelo à Palma de Ouro, Conhecida como Um Certo Olhar (Un Certain Regard). Essa seção apresenta vinte filmes com estilos incomuns e histórias não tradicionais em busca de reconhecimento internacional, além de ter intenção de premiar jovens talentos e trabalhos inovadores que fogem do convencional.

Apesar de mais festivais internacionais terem sido criados com o passar das décadas, o Festival de Cannes se manteve como o principal evento do ano e sua popularidade continuou a crescer. No início dos anos 2000, se tornou um fenômeno ainda maior pelo mundo e passou a ser uma grande referência para lançamentos que seriam os principais concorrentes em premiações populares, como o evento da Academia. 

Em 2007, na celebração de sua 60ª edição, o festival lançou a produção Cada Um Com Seu Cinema, onde convidou trinta e cinco diretores renomados para gravar um curta-metragem, encenando histórias em relação a uma sala de cinema.
Entre a atual programação principal do Festival estão a seleção oficial de longas-metragens em competição para a Palma de Ouro; a seleção de filmes fora de competição; a seção Un Certain Regard; exibições especiais; Cinéfondation com exibições de produções de estudantes de todo o mundo; seção de curtas-metragens; Clássicos de Cannes e Cinéma de la Plage com exibições feitas na praia de Macé. 

Em paralelo ao evento principal, também acontece as seções Semana Internacional da Crítica; Quinzena de Diretores; exibições da ACID (Associação para Cinema Independente e Distribuição) e Tous les Cinémas du Monde, onde cada dia um país é convidado a fazer exibições de produções de seu país. A parte dessas seções, ainda acontece outros eventos no Festival como o Marché du Film. mercado internacional para compra e venda de direitos de filmes; Masterclasses feitas por profissionais renomados; além de encontros de produtores para co-produções e tributos à  artistas.

Entre os prêmios entregues no Festival estão a Palma de Ouro; Grand Prix; Prêmio do Júri; Palma de Ouro para curtas-metragens; prêmio para Melhor Atriz, Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Roteirista; prêmio da seção Un Certain Regard; prêmio da Cinéfondation para estudantes; prêmio Câmera de Ouro para o melhor filme de estreia de um diretor. 

Além desses, há os prêmios entregues por entidades independentes da organização principal do Festival de Cannes, como o prêmio FIPRESCI entregue pela federação internacional de críticos; prêmio da Quinzena de Diretores; prêmio da Semana Internacional da Crítica, o L'Œil d'or para Melhor Documentário; Palma Canina para a melhor performance canina em um filme; Palma Queer para o melhor filme com temática LGBT; Pêmio Pierre Angénieux Excellens para a Melhor Direção de Fotografia; Prix Vulcain para um artista técnico; prêmio do Júri Ecumenical; prêmio François Chalais; Trophée Chopard para jovens atores; e um prêmio para Melhor Trilha Sonora.

Em 2020, o Festival de Cannes esperava realizar sua 73ª edição do evento e contaria com Spike Lee como presidente do Júri. Após adiar a data inicial, foi anunciado em Maio de 2020 que o Festival não poderia ser realizado. Mesmo sem a possibilidade da realização do evento, no dia 3 de Junho, a organização do ,divulgou a seleção oficial da edição do Festival. Esses filmes receberão o selo de aprovação e seleção do Festival de Cannes de 2020.. Em parceria com outros festivais internacionais, os filmes selecionados pelo Festival de Cannes serão convidados para exibição e, possivelmente, para competição em festivais como o Festival de Veneza, na Itália, e o Festival de São Sebastião, na Espanha.


O Festival de Cannes foi o tema da nossa Box comemorativa #20 e foi um grande sucesso! A Box já está esgotada, mas você pode conferir a nossa loja e assinar o nosso clube para não perder mais temas incríveis como esse! https://rosebud.club/produtos.asp

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Edward Yang, O Maestro de Taiwan
Edward Yang, O Maestro de Taiwan
Ang Lee, O Taiwanęs Que Conquistou O Ocidente
Ang Lee, O Taiwanęs Que Conquistou O Ocidente
Hou Hsiao-hsien, O Mestre Taiwanęs
Hou Hsiao-hsien, O Mestre Taiwanęs
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 2
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 2
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 1
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 1