O Verde em Matrix

O Verde em Matrix

Postado em:
Blog - Psicologia das Cores
- 12/12/2018 12:25:35

   
     Pensar em analisar as cores dos filmes sem pensar no verde que acompanha toda a Trilogia Matrix é se esquecer de um dos filmes mais revolucionário da história do cinema. De cara, os filmes chamam a atenção pelo filtro verde em todos os seus planos. Nesse post, vamos focar no primeiro filme da franquia “The Matrix” (1999) dirigido pelas Irmãs Wachowski e a sua relação com a cor mais “anti-humana”. De acordo com a simbologia antiga, o preto transforma qualquer cor que ele se associa em seu oposto. Assim, quando o verde se combina ao preto, forma o acorde da aniquilação.

     Na edição do filme, as diretoras optaram pelo uso de um filtro verde nas sequências dentro da Matrix. Apesar do verde ser o símbolo da vida em seu mais amplo sentido, o verde ainda se comunica como uma cor tóxica, a cor de tudo que é venenoso. Por exemplo, qualquer coisa cuja a pela seja verde não pode ser humana, nem mamífero, pois não existem mamíferos verdes. Remetemos a pele verde à serpentes e lagartos, animais considerados repulsivos. Nesse caso, apesar de não ser um filme de ficção científica com criaturas de pele verde, o filtro verde na trilogia acrescenta aos filmes uma espécie de pele verde. Ainda que os personagens principais sejam seres humanos como nós ou com aparência de, como o Agente Smith que é um programa, o filme transita por esse significado não-humano.

 

Todos os frames de Matrix comprimidos.

 

       O preto, por sua vez, faz a diferença entre o dia e a noite, entre o bem e o mal e entre o significado positivo e negativo de cada cor. Segundo a teoria Eva Heller, “o preto transforma todos os significados positivos de todas as cores cromáticas em seu oposto negativo”. Dito que a Trilogia Matrix possui um filtro verde ao longo de toda a narrativa, podemos assumir que todas as cores em quadro se associam à cor verde. Como o verde do filme puxa para o verde escuro e, consequentemente, para o preto, ainda podemos assumir que todas as cores do filme se associam a um verde-negativo.

      Por conta de sua habilidade de estimular respostas positivas e negativas, o verde se torna a metáfora central para a dualidade da própria existência. Isso nada mais é do que o filme Matrix – a realidade fictícia que é apresentada como real (a Matrix) e a verdadeira realidade. O verde-matrix ainda traz uma carga pesada, não só pela tonalidade mais escura como pela temática e narrativa do filme. Esse ar apresentado no filme muito tem a ver com duas palavras que esse tipo de verde costuma representar: decadência e corrupção.

      A Trilogia Matrix representa a decadência da humanidade. Decadência vem de um verbo latino que significa “cair”; geralmente está associada a algo que se degrada e se encaminha para o fim. Nesse caso, criaram máquinas com o intuito de dominar, mas acabou que as máquinas que passaram a dominar a espécie humana. Quem sai da Matrix é obrigado a viver em uma realidade muito precária, é a decadência da vida das pessoas – que não chega a efetivamente a acabar, mas se degrada.

      Já a corrupção está associada aos seres humanos. Enquanto todos vivem em uma situação ruim e lutam para sobreviver e pelo bem comum, Cypher trai a todos a fim de voltar a viver na Matrix. O personagem mostra como o conhecimento pode ser sofrível e prefere voltar para Matrix, mesmo que o preço seja continuar vivendo na ignorância. Segundo ele, “A ignorância é uma benção”. Desse modo, ele faz um acordo com o Agente Smith, onde aceita dar a vida dos tripulantes da Nabucodonosor, incluindo Neo e Trinity para que ele pudesse retornar à Matrix.

      Como falamos, as cores tem seus significados transformados dependendo das outras cores do quadro, vamos analisar a clássica cena das pílulas de Matrix, pois, é claro, o mesmo se dá nessa sequência. Vale ressaltar que os significados não mudam para o bem e para o mal dependendo apenas do preto. No filme, Morpheus oferece a Neo duas pílulas. Caso ele tome a azul, ele continua na Matrix e retorna pra sua cama sem se lembrar que existe um mundo real; caso escolha tomar a vermelha, entrará de fato no mundo real. Como dito que a saída é dolorosa, caso nos deparássemos em viver em uma mentira, provavelmente preferiríamos esquecer e continuar acreditando na Matrix como o mundo real; nesse caso, escolheríamos a pílula azul, pois parece ser melhor.

 

 

      O azul, por ser a mais neutra das cores em nossa simbologia, sua ação é especialmente determinada pelas cores que a ele se combinam. Além disso, a combinação verde-azul domina o acorde de todas as características positivas. O azul também representa o lado irreal da fantasia, a inteligência e a ciência, além de trazer mais credibilidade e confiança. Ou seja, a cor da pílula que aparentemente é melhor para o personagem não foi escolhida à toa. E o fato dos espectadores acharem que viver acreditando na Matrix é melhor, também não é à toa. Existe influência do significado psicológico da cor azul.

      Michelangelo Antonioni diz que a cor é uma relação entre o objeto e o estado psicológico do observador, no sentido em que ambos se sugestionam reciprocamente. O pensamento de Heller complementa a afirmação de Antonioni, acrescentando que “o significado mais importante do azul está no simbolismo das cores, nos sentimentos que vinculamos ao azul.” Como a estudiosa afirma, o azul é a cor de todas as características boas que se afirmam no decorrer do tempo. Consciente ou não, o azul nos traz uma sensação positiva e de segurança.

     Sendo o verde a cor majoritariamente presente nessa cena e o vermelho e o azul serem apenas adereços pontuais, vamos pensar nessas duas cores através da cor principal. Sabemos que o verde é tranquilizador ao lado do azul e do branco; o verde dá esperança com azul e amarelo; transmite um efeito salutar ao lado do vermelho, e um efeito venenoso ao lado do violeta. O verde ainda funciona como uma ideologia ou um estilo de vida. No caso de Matrix, a recusa a uma sociedade dominada pela tecnologia.

      As cores também podem produzir perspectiva. No caso das três cores que estamos dissecando, o vermelho apareceria em primeiro plano, depois o verde e o mais afastado seria o azul. Através desse aspecto, entendemos o porquê da pílula azul ser melhor e a vermelha ser a mais atrativa. O vermelho, ainda, possui uma relação com as duas cores, uma psicológica e outra complementar. Da mesma maneira que dialoga com o verde ao fundo do quadro, contrasta com a pílula azul.

      Cores complementares são cores que, no círculo cromático, se encontram sempre distantes uma das outras. No sentindo técnico-cromático, isso se dá devido ao fato que uma das duas cores terem o que falta na outra, assim, elas são as cores que mais contrastam entre si. A cor complementar do vermelho é o verde. Porém, como vimos no post anterior, psicologicamente falando, a ação das cores sobre o sentimento e a razão não corresponde aos comportamentos técnicos que as cores têm entre si. Por esse ângulo, o vermelho e o azul contrastam melhor em seus significados. Assim, entendemos o porquê do azul e o vermelho serem cores psicologicamente contrárias.

            Desse modo, conseguimos entender como as cores podem ter seus significados manipulados a depender do acorde cromático que a acompanha. Quer queiramos ou não, a cor pode determinar o que pensamos e como sentimos pois não existe cor destituída de significado. Nossa natureza é incapaz de ver a natureza ondulatória da luz que afeta a maneira como “sentimos”. A ironia é que a cor nos impacta de maneiras que não podemos ver, mas afeta como nos sentimos e como nos comportamos. Assim, a cena da saída de Neo da Matrix é importante para entender os conceitos de perigo no vermelho da pílula.

 


      Pois, nessa cena, o vermelho apresenta o ápice do que ela representa na pílula. O perigo começa quando Neo escolhe tomar a pílula vermelha, assumindo para si o perigo. Em seguida, dentro de um casulo com um líquido vermelho, completamente imerso no perigo. Nesse lugar, existem varias outras cápsulas com pessoas nesse mesmo líquido que formam imensas torres. A primeira coisa que ele vê é uma máquina com os olhos vermelhos, confirmando que agora ele está vivendo o perigo que ele escolheu na pílula.

       Curiosos para saber qual será o próximo filme? Fiquem ligados nas nossas redes sociais e no instagram @rosebud.club, onde vai ocorrer a próxima votação!



Nicole Verissimo é formada em Cinema pela PUC-Rio e estudante de Publicidade com domínio adicional em Neurociência e Cognição.

 


 

Categorias

Fique informado!

+ Posts

O Autor no Cinema
O Autor no Cinema
O Cidadão Welles
O Cidadão Welles
Analisando Parasita
Analisando Parasita
Almodóvar
Almodóvar
 O Cinema de Hong Sang-soo
O Cinema de Hong Sang-soo