Edward Yang, O Maestro de Taiwan

Edward Yang, O Maestro de Taiwan

Postado em:
Blog - Artigos
- 16/11/2020 16:47:05

Edward Yang (Chinês: 楊德昌) nasceu no dia 6 de Novembro de 1947 em Xangai, na China. Mas se mudou para Taipei, em Taiwan, dois anos depois, em 1949, durante o final da guerra civil chinesa. Yang passou sua infância e juventude em Taipei, onde se formou no Ensino Médio e na Universidade Nacional Chiao Tung, onde se especializou em Engenharia Elétrica. Posteriormente continuou sua especialização no setor quando foi para os Estados Unidos obter o título de mestre na Universidade da Flórida em 1974.

Yang mostrou interesse em trabalhar com cinema quando estudou na University of Southern California,  em Los Angeles, por um ano. Porém, Yang acreditou que o método usado na universidade era muito comercial e afirmou que ele não tinha o talento necessário para trabalhar com cinema. Por conta disso, não se sentiu interessado em continuar sua carreira em cinema. Em seguida, Yang foi aceito para estudar Arquitetura em Harvard, mas nunca iniciou o curso, pois seus pais haviam se mudado de Taiwan para Seattle, então decidiu ir com seus pais e passou a trabalhar com computação e softwares na mesma cidade.

Em Seattle, Yang começou se interessar pelos novos filmes alemães que estavam sendo lançados. Quando assistiu Aguirre, A Cólera dos Deuses (1972), de Werner Herzog, surgiu uma nova paixão por cinema e o filme o introduziu a um novo leque de clássicos do cinema mundial. Dentre as grandes obras que começou a assistir, Yang afirmou estar especialmente influenciado pelos filmes do cineasta italiano Michelangelo Antonioni.

Alguns anos depois, Yang pediu para um amigo escrever um roteiro para ele e, em 1981, se mudou para Taiwan para trabalhar no roteiro e continuou morando no país pelo resto de sua vida. O roteiro se tornou o filme para televisão de Hong Kong, The Winter of 1905 (1981), o qual Yang trabalhou na produção e o filme recebeu uma nomeação no Golden Horse Awards. Após o sucesso com o seu trabalho, trabalhou em algumas séries de televisão, como Onze Mulheres e Duckweed, foi convidado para dirigir o curta-metragem Desires e para fazer parte do filme In Your Time (1982), considerado por muitos o principal filme para iniciar a primeira onda do Novo Cinema Taiwanês, que revolucionou o cinema do país.

Seu primeiro longa-metragem, That Day, on the Beach (1983), é citado como, possivelmente, o primeiro filme do Novo Cinema Taiwanês. O longa foi estrelado pela jovem Sylvia Chang, que posteriormente se tornou uma das atrizes mais prestigiadas de Taiwan, e contou com a direção de fotografia de Christopher Doyle. O filme foi o primeiro trabalho de Doyle em um longa-metragem e o diretor de fotografia também se tornou um dos mais prestigiados em sua função. That Day, on the Beach foi aclamado e foi nomeado nas três principais categorias do Golden Horse Awards.

Em 1984, Yang fez uma participação especial no filme de Hou Hsiao-hsien, Um Verão na Casa do Vovô (1984).

O toque artístico de Yang avançou ainda mais em seu próximo filme, História de Taipei (1985), estrelado e co-escrito pelo Hsiao-hsien. O filme teve uma ótima recepção da crítica e foi nomeado para duas categorias no Golden Awards. O filme também foi co-estrelado pela Popstar taiwanesa Tsai Chin, com quem Yang se casou no mesmo ano e ficaram juntos até o divórcio, em 1995.

Seu primeiro veio no ano seguinte com o seu novo filme, Os Terroristas (1986), que consagrou Yang com o prêmio de Melhor Filme no Golden Horse Awards e o Leopardo de Prata no Festival de Locarno, além de ser premiado no British Film Institute Awards.

Em 1989, fundou sua própria companhia de produção, chamada de Yang & His Gang Filmmakers. Yang foi co-produtor de seu próximo filme, Um Dia Quente de Verão (1991). O longa de quase quatro horas de duração é considerado a grande obra de arte de Edward Yang e uma das maiores obras primas do cinema contemporâneo. 

O filme foi universalmente aclamado e recebeu diversos prêmios como Melhor Filme e Melhor Roteiro no Golden Horse Awards e mais dez outras nomeações na premiação, além receber o prêmio especial do júri e o prêmio FIPRESCI no Festival de Tóquio, o prêmio de Melhor Filme no Asia-Pacific Film Festival, Melhor Diretor no Festival de Nantes e diversos outros prêmios pelo mundo. O título do filme foi tirado da letra da canção americana “Are You Lonesome Tonight?”, de Elvis Presley, como referência de como a cultura ocidental estava invadindo a cultura do oriente em Taiwan.

Em 1992, Yang mudou o nome de sua produtora para Atom Films and Theater como homenagem a um de seus animes preferidos, Astro Boy. Com a produtora, em 1997, produziu três peças de teatro - duas em Taipei e a outra peça com apresentações em Hong Kong e Londres.

Seus próximos dois trabalhos tiveram recepção positiva, porém, atraíram menos atenção e aclamação que seus filmes anteriores. Uma Confusão Confuciana (1994) foi o primeiro longa de Yang a ser selecionado para competir pela Palma de Ouro no Festival de Cannes, também foi nomeado para nove categorias no Golden Horse Awards e venceu o prêmio de Melhor Roteiro. O filme Mahjong (1996), por sua vez, venceu uma menção honrosa no Festival de Berlim, competiu pelo Urso de Ouro e ainda foi premiado nos Festivais de Singapura, Festival de Nantes e no Golden Horse Awards.

As Coisas Simples da Vida (2000), seu próximo filme, foi sua segunda obra prima do cinema contemporâneo mundial e foi muito aclamado. Esse foi o filme que mais popularizou o nome de Edward Yang pelo mundo e também foi seu último trabalho no cinema. O sucesso do longa de 3 horas de duração prestigiou Yang com o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes e o colocou na competição pela Palma de Ouro. 

O filme ainda venceu o prêmio de Melhor Filme entregue pela National Society of Film Critics e venceu dezenas de outros prêmios nos Estados Unidos e pelo mundo. As Coisas simples da Vida foi eleito por muitos críticos e revistas de cinema como o melhor filme do ano e um dos melhores filmes da década. Desse modo, o longa marcou o nome de Edward Yang de vez como um dos mais prestigiados cineastas do mundo. Críticos, profissionais da indústria e amantes de cinema esperavam por seu próximo filme, que nunca aconteceu. 

Em 2001, Yang finalizou um roteiro com uma história de aventura e planejava outros dois filmes, um em Seattle e uma história sobre a Segunda Guerra Mundial que se passava em Taiwan. Nos anos seguintes, começou a trabalhar em um filme de animação com o astro Jackie Chan chamado “The Wind”. Porém, nenhum de seus novos projetos foram finalizados e sua carreira foi encerrada precocemente com o seu falecimento no dia 29 de Junho de 2007, em Los Angeles, na Califórnia,, por conta de complicações de um câncer que enfrentou pelos últimos sete anos.

O trabalho de Yang foi igualmente focado em assuntos universais como o desejo por oportunidades perdidas e os antigos conflitos entre pais e filhos. Com sua mente profundamente racional, o diretor sempre se esforçou para impor ordem ao mundo irracional da experiência humana. Em todos os seus filmes, Yang analisou a modernização da sociedade de Taiwan sob uma perspectiva moral e se mostrava cético com relação à amoralidade comercial do Ocidente.

Por ser profundamente ciente de seus efeitos desestabilizadores nas atuais culturas orientais, Yang via ainda menos viabilidade para filosofias tradicionais como o confucionismo em uma economia globalizante. Enquanto analisam o passado e o presente, seus filmes lançam uma visão cautelosa para o futuro incerto de Taiwan, tornando Edward Yang uma figura totalmente única no cinema mundial.


Edward Yang foi um dos homenageados em nossa Box #21 sobre o Cinema do Taiwan, que foi um grande sucesso! A box já está esgotada, então corre para se unir ao nosso Clube e não perder mais nenhuma Box! E você também pode conferir os items disponíveis em nossa loja: https://rosebud.club/produtos.asp

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Ang Lee, O Taiwanęs Que Conquistou O Ocidente
Ang Lee, O Taiwanęs Que Conquistou O Ocidente
Hou Hsiao-hsien, O Mestre Taiwanęs
Hou Hsiao-hsien, O Mestre Taiwanęs
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 2
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 2
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 1
Cineastas Sul-Coreanos - Parte 1
Michael Haneke, O Intelectual Austríaco
Michael Haneke, O Intelectual Austríaco