Curso: Dossiê Tarantino - RJ
Curso: Dossiê Tarantino - RJ
Curso: Dossiê Tarantino - RJ
Curso: Dossiê Tarantino - RJ
Código:
z991
Curso: Dossiê Tarantino - RJ
R$ 150,00
ESGOTADO

Detalhes


Devido a pandemia do Coronavírus o Curso “DOSSIÊ TARANTINO” foi adiado sem previsão de nova data.
 
Quentin Tarantino é dos raros diretores hollywoodianos a construir uma assinatura autoral dentro da indústria. Desde a escolha do elenco ao uso criativo da música, o diretor/roteirista constantemente nos lembra que o realismo da narrativa ficcional pode ser quebrado pela presença de um autor externo que no caso dele é, antes de qualquer coisa, um exímio contador de histórias. O curso permitirá ao aluno desenvolver um olhar crítico sobre a estética tarantinesca e assim perceber as nuances de suas escolhas e marcas registradas.
 
AULA 1 – Como o jovem cinéfilo militante se transforma no diretor que redefine os rumos do cinema americano dos anos 90 com CÃES DE ALUGUEL e PULP FICTION. Da obra-prima JACKIE BROWN à KILL BILL, o caldeirão de referências ajuda a entender o uso peculiar da violência em sua obra.
 
AULA 2 – Em KILL BILL 2, À PROVA DE MORTE e BASTARDOS INGLÓRIOS, o tema da vingança mostra um autor em sua plenitude criativa, ousado a ponto de reescrever o pesadelo nazista. DJANGO LIVRE e OS OITO ODIADOS: faroestes pós-modernos permeados pela temática racial. ERA UMA VEZ EM... HOLLYWOOD, o triunfo da arte no mundo de Tarantino.
 
SEM DATA DEFINIDA
Horário: 14h às 18h
Endereço: Auditório Instituto Gênesis – Gávea
Av. Padre Leonel Franca, 480
CEP: 22451-000
*Número mínimo para fechar a turma: 20 alunos 

Marcelo Janot é crítico de cinema do jornal O Globo desde 2006 e editor do website Criticos.com.br. Publicou em 2018 o livro “Revisão Crítica” (Autografia). Foi repórter e crítico de cinema do Jornal do Brasil por 6 anos e presidente, entre 2003 e 2006, da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro. Como membro da FIPRESCI, a Federação Internacional dos Críticos, integrou o júri da crítica em diversos festivais internacionais, como Rotterdam, Havana e San Sebastian. Colaborou com publicações como a revista francesa Positif e a edição espanhola da Cahiers du Cinèma. Na TV, trabalhou por oito anos como crítico e comentarista do canal Telecine Cult. Foi colunista do programa Revista do Cinema Brasileiro, na TV Brasil, e apresentador do programa Tela Aberta, exibido na TV Bandeirantes. No rádio, foi colunista de cinema da Rádio Sul America Paradiso e roteirista e apresentador do programa Identidade Brasileira, na Globo FM.
 

 

Carrinho

TOTAL
R$ 0,00
FINALIZAR